Matt Rourke/AP
Matt Rourke/AP

Polícia entrega à promotoria inquérito sobre morte de jovem em Baltimore

Promotoria incluirá o inquérito policial interno como parte de sua própria investigação sobre a morte de Freddie Gray

O Estado de S. Paulo

30 de abril de 2015 | 21h01

BALTIMORE, EUA - Um inquérito da polícia de Baltimore, nos EUA, sobre a morte de um jovem negro que sofreu graves lesões na coluna vertebral enquanto esteve preso foi entregue nesta quinta-feira, 30, à promotora-chefe da cidade, que vai decidir se quer ou não apresentar acusações contra qualquer um dos seis oficiais de patrulha envolvidos na prisão da vítima.

O gabinete da promotora Marilyn Mosby incluirá o inquérito policial interno como parte de sua própria investigação sobre a morte de Freddie Gray, que foi ferido em algum momento entre sua prisão no dia 12, por porte de canivete, e sua chegada à delegacia.


A morte de Gray, sete dias depois, tornou-se o mais recente ponto de fúria num debate nacional sobre o uso da força policial letal e as relações raciais, desencadeando manifestações e uma noite de tumultos em Baltimore, no Estado de Maryland.

Os protestos se espalharam para outras grandes cidades na quarta-feira, uma reprise das manifestações do ano passado depois de assassinatos de homens negros desarmados cometidos pela polícia em Ferguson, no Estado de Missouri, Nova York e outros lugares.

Marilyn, uma afro-americana eleita em novembro, disse que sua equipe foi regularmente informada por investigadores da polícia durante o andamento do inquérito, e, ao mesmo tempo, seu gabinete conduziu sua própria investigação independente.

"Não estamos contando apenas com as conclusões deles, mas também com os fatos que temos recolhido e verificado", disse a promotora em comunicado. "Pedimos ao público que se mantenha paciente e pacífico e confie no processo do sistema judicial."

Marilyn enfrenta o maior teste de sua curta carreira na tentativa de determinar o que exatamente aconteceu com Gray, de 25 anos, e se qualquer um dos seis oficiais devem ser acusados ​​criminalmente. Os seis foram suspensos.

Enquanto não havia planos imediatos de divulgar as conclusões do inquérito policial, o relatório foi entregue um dia antes do esperado, destacando a urgência dada pelas autoridades ao caso de Gray.

Um toque de recolher foi mantido pela segunda noite e uma relativa calma voltou à cidade predominantemente afro-americana. Saques, incêndios criminosos e confrontos de rua com a polícia tomaram conta de Baltimore na segunda-feira após o funeral de Gray. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.