Polícia espanhola continua procurando pistas de equatorianos

Os bombeiros e a Polícia de Madri retiraram 32 veículos do estacionamento do aeroporto de Barajas, onde no sábado, dia 30, explodiu uma caminhonete-bomba colocada pela ETA, sem localizar ainda os dois equatorianos dados por desaparecidos no atentado.Fontes ligadas às buscas informaram nesta terça-feira que já foram extraídas 2 mil toneladas de escombros. Mas não foram encontrados os corpos dos dois equatorianos que se encontravam no estacionamento quando explodiu a bomba.Os parentes dos dois desaparecidos, alguns deles vindos do Equador, visitaram na segunda o local, acompanhados pelo ministro do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba.As fontes acrescentaram que também não identificaram o carro utilizado para cometer o atentado, que praticamente destruiu um dos quatro estacionamentos do aeroporto de Barajas.A maioria dos 32 veículos retirados do módulo "D" ficou em estado praticamente irrecuperável.Ritmo aceleradoO prefeito de Madri, Alberto Ruiz-Gallardón, assegurou que os trabalhos de remoção de escombros do estacionamento do aeroporto afetado pelo atentado da ETA se desenvolvem no "máximo ritmo possível", com o objetivo de encontrar os equatorianos desaparecidos.Ruiz-Gallardón visitou nesta terça-feira a zona afetada pelo atentado e afirmou que os destroços causados pela explosão da caminhonete-bomba "são impressionantes".Segundo o prefeito, a prioridade é localizar os dois desaparecidos, mas, quanto mais o tempo passa, mais a esperança de achar os desaparecidos diminui. Para ele, as operações de busca são muito complexas.O prefeito ressaltou que não se pode acelerar o ritmo de trabalho após ter sido atingida a zona do núcleo da explosão e que é preciso "se esmerar para não destruir provas que possam ser úteis para determinar o tipo de explosivo utilizado e outros fatores necessários para a investigação do atentado".AnáliseRuiz-Gallardón detalhou que os trabalhos de remoção de escombros são feitos ininterruptamente por dois grupamentos dos Bombeiros, com 18 efetivos, em coordenação com a Polícia Científica, que é a que estabelece os ritmos e procedimentos.O prefeito disse que os escombros são retirados e entregues à Polícia Científica para análise.Além disso, explicou que no local do atentado há também corpos dos serviços de emergência e membros deste serviço que estão atendendo as famílias dos dois equatorianos desaparecidos.Área onde estão veículos de equatorianos desaparecidos é localizadaMadri, 2 jan (EFE).- A área onde estão os carros dos dois equatorianos desaparecidos após o atentado cometido pela ETA no sábado no aeroporto de Madri já foi localizada, informou hoje Joan Mesquida, diretor-geral da Polícia e da Guarda Civil.Mesquida, que visitou esta manhã o local no qual ocorreu a explosão, o estacionamento D do terminal 4 do aeroporto de Barajas, afirmou que atualmente se está trabalhando "muito perto" de um dos veículos no qual estava um dos cidadãos equatorianos desaparecidos.O responsável das Forças de Segurança espanholas reiterou que as chances de encontrar com vida os dois equatorianos são "muito, muito, muito remotas", já que quatro andares de estacionamento desabaram e "há um peso muito grande" de escombros. Além disso, a temperatura atingida no momento da explosão foi de 1.000 graus.Mesquida explicou que a Polícia Científica está analisando amostras para determinar o tipo de explosivo e a quantidade usada.O diretor-geral não quis dar mais detalhes sobre este aspecto e lembrou que o ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, concederá uma entrevista nesta tarde na qual falará sobre as investigações.Mesquida afirmou que os trabalhos estão sendo realizados a um ritmo muito rápido, já que foram retirados mais de 2 mil toneladas de escombros e mais de 120 veículos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.