Polícia espanhola prende terroristas irlandeses em Málaga

A Polícia espanhola deteve em Málaga dois supostos terroristas norte-irlandeses de um grupo que se separou do IRA, a organização RIRA, que se dedicavam ao financiamento da facção através do contrabando de cigarro. Fontes da Polícia informaram neste domingo que os dois detidos, aparentemente membros do Exército Republicano Real Irlandês (RIRA em inglês), foram identificados como Thomas Philip C. e Aaron William.Philip C. nasceu em Dublin, tem 32 anos e vive em San Pedro de Alcántara, em Málaga, no sul da Espanha. William, de 42 anos, é natural de Lisburn (Irlanda do Norte) e possui residência fixa na localidade malaguenha de Benalmádena. Os detidos foram levados para a Delegacia Geral de Informação de Madri.Na operação policial, os agentes apreenderam em um centro industrial de Málaga dois caminhões com 498 mil maços de cigarro, cujo valor estimado na Espanha chega a US$ 1,27 bilhão. Esta quantia se multiplicaria no Reino Unido, já que o preço do tabaco é notavelmente mais caro neste país, segundo as fontes.Além disso, os policiais fizeram buscas em quatro casas em Málaga, onde confiscaram dinheiro e documentos que estão sendo analisados.A Polícia indicou que os dois supostos terroristas receberam uma carga de cigarro que tinha chegado a um porto do litoral do Sol (sudeste espanhol) por via marítima. Os acusados levariam a carga ilegalmente para a Grã-Bretanha, onde seria vendida.Os policiais acreditam que os detidos financiavam as ações do grupo terrorista RIRA através de atividades criminosas como o tráfico de armas e o contrabando de cigarro. O RIRA surgiu de uma cisão do IRA e continua comprometido na luta pela retirada britânica do Ulster usando métodos violentos, apesar do cessar-fogo declarado pelo grupo principal. O atentado mais sangrento do RIRA ocorreu em agosto de 1998 em Omagh (Irlanda do Norte), em que 29 pessoas morreram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.