AP Photo/Christophe Ena
AP Photo/Christophe Ena

Polícia francesa encontra mais explosivos após nova operação perto de Paris

A batida desta quinta-feira foi realizada em uma garagem alugada a um dos três detidos na sequência da operação de quarta-feira em um apartamento de Villejuif

O Estado de S.Paulo

07 Setembro 2017 | 16h13

PARIS - A polícia da França encontrou nesta quinta-feira, 7, um segundo esconderijo de materiais explosivos perto de Paris, após uma descoberta semelhante em subúrbio nos arredores da capital na véspera, informou uma autoridade de justiça, enquanto três suspeitos eram interrogados por investigadores antiterrorismo.

A batida desta quinta-feira foi realizada em uma garagem alugada a um dos três detidos na sequência da operação de quarta-feira em um apartamento de Villejuif, localizado no extremo sul da capital francesa, disse a fonte.

Materiais usados para fabricar TATP, um explosivo muito usado por homens-bomba, foram encontrados no apartamento depois que um encanador ligou para a polícia para relatar atividades suspeitas no local, disse o ministro de Interior da França, Gérard Collomb.

Duas pessoas na faixa dos 30 e 40 anos de idade foram presas logo após a batida de quarta-feira, afirmou Collomb. Segundo ele, os suspeitos estão sendo interrogados por suposta atividade terrorista, embora citem um assalto a banco. Um terceiro homem foi preso de quarta para quinta-feira, de acordo com uma fonte.

“Aqueles que estão sob investigação disseram querer explodir um banco com o TATP, mas acreditamos que eles têm laços com o terrorismo, e este é o rumo da investigação”, disse Collomb à rádio pública franceinfo.

Essa linha de inquérito foi motivada por informações obtidas em comunicações telefônicas depois da operação, acrescentou.

O ministro se pronunciou antes dos desdobramentos ocorridos mais tarde, quando a polícia encontrou materiais explosivos em uma garagem de Thiais, no sudeste de Paris.

Mais de 230 pessoas foram mortas por agressores de inspiração islâmica nos últimos três anos na França, que, assim como os Estados Unidos e outros países, está bombardeando bases do Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

O TATP, um explosivo instável, foi usado por militantes em vários ataques cometidos na Europa Ocidental em anos recentes, como o de Manchester, em maio, o de Bruxelas, em 2016, e o de Paris, em 2015. /REUTERS 

Relembre: Dia de medo na França

 

Mais conteúdo sobre:
França [Europa] terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.