REUTERS/Philippe Wojazer/File Photo - 14 de Julho de 2018
REUTERS/Philippe Wojazer/File Photo - 14 de Julho de 2018

Polícia francesa faz buscas em escritório de ex-segurança de Macron

Agentes fizeram o mesmo no sábado em sua residência em Issy-les-Moulineaux, nos arredores de Paris

O Estado de S.Paulo

25 Julho 2018 | 17h49

PARIS - A Polícia da França está fazendo buscas nesta quarta-feira, 25, no escritório que o ex-responsável de segurança da presidência do país, Alexandre Benalla, tinha no Palácio do Eliseu até que foi demitido por agredir manifestantes nos protestos de 1º de maio, quando se fez passar por policial.

Segundo a emissora pública France Info, as buscas acontecem na presença do próprio Benalla, depois que os agentes fizeram o mesmo no sábado em sua residência em Issy-les-Moulineaux, nos arredores de Paris.

Benalla é acusado de cometer "atos de violência em reunião", "posse ilegal de armas" e "posse indevida de distintivos regulamentados pela autoridade pública".

As buscas em seu escritório, um procedimento habitual neste tipo de investigação judicial, tem um simbolismo ainda maior por se tratar da sede da presidência da França, em um escândalo que atingiu em cheio o chefe de Estado, Emmanuel Macron, que assumiu responsabilidade pelo caso na noite de ontem.

Além de Benalla, foram acusados um responsável de segurança do partido de Macron, Vincent Crase, e três policiais que supostamente vazaram ao ex-guarda-costas do presidente um vídeo no qual é possível vê-lo agredindo dois manifestantes nos protestos de 1º de maio em Paris. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.