Polícia francesa ouve escritora que acusa Strauss-Kahn

Detetives da polícia francesa ouviram hoje uma jovem escritora que acusa o ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn de ter tentado estuprá-la, em 2003, disse um funcionário do Judiciário à France Presse.

AE, Agência Estado

11 de julho de 2011 | 12h34

A polícia de Paris recebeu a solicitação de magistrados investigativos para examinar as alegações da jornalista e escritora Tristane Banon contra o ex-chefe do FMI, também acusado de crimes sexuais em Nova York. Os promotores decidirão se devem ou não acusar formalmente o político do Partido Socialista, de 62 anos. Banon, de 32, afirma que Strauss-Kahn a atacou em um flat de Paris, em 2003, enquanto tentava entrevistá-lo para um livro que ela estava escrevendo.

Strauss-Kahn era visto até recentemente como o favorito nas eleições presidenciais francesas do ano que vem. Ele rechaçou as acusações, qualificando-as como "imaginárias". Os advogados dele planejam processar Banon por difamação pelas acusações, feitas por ela pela primeira vez na televisão, em 2007.

A investigação na França ocorre no momento em que o caso contra Strauss-Kahn nos EUA parece perder força, em meio a dúvidas em torno da credibilidade da camareira que seria a vítima. Strauss-Kahn foi acusado por tentativa de estupro em um hotel de Nova York em 14 de maio, porém promotores admitiram posteriormente que há dúvidas na versão da funcionária do hotel. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.