REUTERS/Yannis Kolesidis
REUTERS/Yannis Kolesidis

Polícia grega desmantela acampamento de refugiados

Local abrigava mais de 8,4 mil imigrantes. Segundo policiais, presença de forças antidistúrbios é apenas ‘medida de precaução’

O Estado de S. Paulo

24 Maio 2016 | 09h47

ATENAS - A polícia da Grécia começou a desmontar o acampamento improvisado de Idomeni, na fronteira com a Macedônia, onde se encontram mais de 8,4 mil refugiados, na manhã desta terça-feira, 24. Segundo a imprensa presente no local, os primeiros dois ônibus já deixaram o acampamento rumo a um dos novos centros oficiais abertos no norte da Grécia.

Centenas de policiais bloquearam o acesso ao acampamento e durante a noite pediram aos veículos de imprensa e aos voluntários que deixassem o local. A polícia, com a ajuda de intérpretes, esteve desde segunda-feira à noite oferecendo informações aos refugiados sobre a operação de mudança.

Segundo a rede de televisão pública da Grécia, o ambiente por enquanto é tranquilo e muitos refugiados esperam com calma diante dos ônibus para serem transferidos.

Ao longo da segunda-feira, cerca de 2,5 mil pessoas foram levadas para estruturas organizadas, mas no começo desta manhã ainda havia mais de 8,4 mil em Idomeni.

A polícia assegurou que a forte presença das forças antidistúrbios é uma mera "medida de precaução" para reagir caso algumas pessoas se recusem a deixar o acampamento.

O governo grego vem insistindo nas últimas semanas que não tem a intenção de realizar um desmantelamento forçado, levando em conta que há várias mulheres e crianças no acampamento.

Segundo afirmou na segunda-feira o porta-voz do governo grego para assuntos de refugiados, Yorgos Kyritsis, espera-se que a transferência das pessoas para centros governamentais aconteça em um prazo de dez dias.

"Neste momento, temos 6 mil vagas disponíveis em centros de acolhida. Em poucos dias, teremos 8 mil", acrescentou o porta-voz, que disse que são centros de boa qualidade, com cabanas, e não com barracas, um fator que espera motivar os refugiados a aceitarem a mudança.

Além disso, o governo informou que os refugiados poderão obter nos acampamentos oficiais apenas uma prorrogação da permissão de sua estadia de um mês, que todos recebem quando são registrados em sua chegada à Grécia.

Para a maioria dos refugiados esta permissão já venceu, por isso o governo espera que essa decisão também sirva como incentivo para a transferência. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.