Polícia grega se confronta com grupo anti-imigração

A polícia grega entrou em confronto com cerca de 500 manifestantes anti-imigração em Atenas neste sábado. Os manifestantes, que atiravam pedras nos policiais, estavam revoltados com uma passeata de imigrantes, sindicalistas e ativistas de direitos humanos contra a construção de uma cerca na fronteira entre a Grécia e a Turquia.

AE, Agência Estado

15 de janeiro de 2011 | 19h39

Segundo estatísticas oficiais, cerca de 128 mil imigrantes ilegais entraram na Grécia em 2010, a maioria deles pela Turquia. Para conter a onda de imigrantes, o governo anunciou planos de construir uma cerca de 12,5 quilômetros em uma parte da fronteira com a Turquia.

O plano foi criticado por partidos de esquerda, imigrantes e ativistas de direitos humanos.

Cerca de mil imigrantes e algumas centenas de gregos marcharam do centro de Atenas até um bairro no norte da cidade que tem sido o foco de atividades anti-imigração. A polícia, no entanto, não deixou que eles chegassem até a igreja de St. Panteleimon.

Do lado de fora da igreja, centenas de membros do grupo de extrema direita Chrysi Avgi, junto com alguns residentes, esperavam para confrontar a passeata.

Depois de serem atacadas com pedras pelos extremistas, tropas de choque da polícia avançaram contra eles e muitos buscaram refúgio dentro da igreja. A polícia atirou bombas de gás lacrimogêneo, inclusive dentro da igreja, prendeu três pessoas e, depois de meia hora de confronto, os extremistas se dispersaram.

O bairro tem uma grande população de imigrantes, a maioria do Afeganistão, Paquistão e Bangladesh, e muitos gregos que vivem naquela área não gostam de sua presença. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciaimigrantesconfronto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.