Polícia indiana prende 1.400 seguidores de comitê para paz

Cerca de 1.400 seguidores do Comitê Popular para a Iniciativa de Paz de Assam (PCPIA, em inglês) forampresos pela Polícia indiana quando pretendiam entregar uma carta ao chefe do governo desse Estado indiano, Tarun Gogoi, informou nesta quinta-feira, 19, a agência indiana de notícias PTI.Na carta, os simpatizantes do PCPIA pedem a realização deconversas de paz diretas entre a Frente de Libertação Unida de Assam (ULFA) e o governo de Nova Délhi, a libertação de cinco líderes deste grupo que estão presos e a retirada do Exército de Assam.A Polícia prendeu 900 membros do PCPIA, um conglomerado de 21 organizações alinhadas ao ULFA, quando o grupo ainda estava distante da sede do governo de Assam, enquanto outros 500 foram detidos quando chegavam ao edifício oficial.Em 27 de setembro, três dias depois de as operações militares contra a Frente de Libertação serem retomadas, os negociadores do ULFA anunciaram sua retirada do processo de paz, colocando fim ao cessar-fogo.Pelo menos 10 mil pessoas foram assassinadas nos últimos 20 anos por causa da violência separatista em Assam, reduto do ULFA, um dos maiores grupos armados entre os cerca de 25 que atuam no nordeste do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.