Aftab Alam Siddiqui/Arquivo/AP
Aftab Alam Siddiqui/Arquivo/AP

Polícia indiana prende diretora de escola onde 23 alunos morreram

Crianças passaram mal após ingerirem alimento contaminado com pesticida

O Estado de S. Paulo,

24 de julho de 2013 | 10h49

NOVA DÉLHI - A polícia indiana prendeu nesta quarta-feira, 24, a diretora da escola primária onde 23 crianças morreram após ingerirem alimentos contaminados com pesticida na semana passada, num dos piores casos de contaminação alimentar nos últimos anos no país.

A mulher, que passou mais de uma semana foragida, foi detida quando se dirigia a um tribunal para se render, segundo Sujit Kumar, superintendente policial do distrito de Saran, no Estado de Bihar, no leste da Índia. Kumar disse que a diretora foi detida para questionamento. "Precisamos falar com ela antes de apresentar acusações."

Alunos com idades entre quatro e doze anos de uma sala da escola passaram mal em 16 de julho, apresentando vômitos e cólicas minutos depois de consumirem uma refeição à base de arroz, batata, soja e curry. Muitas delas morreram em questão de horas.

Uma perícia mostrou que a comida estava contaminada com o pesticida monocrotofós, proibido em muitos países. A substância foi encontrada no óleo usado para cozinhar os alimentos.

A polícia diz que a diretora poderá esclarecer como o pesticida foi parar na comida. Outras 30 crianças foram hospitalizadas./ REUTERS e DOW JONES

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.