Polícia indiana prende dois em investigação sobre ataques

Prisões são as primeiras evidências da participação de indianos; governo culpa apenas paquistaneses por ataques

Agências internacionais,

06 de dezembro de 2008 | 06h16

A polícia indiana afirmou neste sábado que prendeu duas pessoas suspeitas de compra fraudulenta de mais de 20 cartões de telefone celular que foram usados pelos terroristas que atacaram a cidade de Mumbai. Tausif Rehman e Sheikh Mukhtar são as primeiras pessoas detidas pela onda de ataques coordenados que matou cerca de 180.   Veja também: Índia admite falhas de segurança em ataques a Mumbai Índia jamais cauterizou as feridas de 1947 Assista ao vídeo com cenas dos ataques  Imagens de Mumbai     Ainda não está claro o envolvimento direto dos dois nos ataques. Se as suspeitas se confirmarem, as prisões representarão evidências da cumplicidade de cidadãos indianos nos atentados, os quais Nova Délhi responsabilizou militantes islâmicos paquistaneses.   Os detidos são acusados de terem comprado os cartões com documentos de identidade falsos, disse à agência indiana "PTI" o chefe da Força de Tarefas Especiais (STF), Rajiv Kumar. Os detidos são Mukhtar, um caxemiriano de 35 anos cuidava de um negócio de xales em Calcutá e foi detido ontem em Nova Délhi, e Rehman, um bengali de 26 anos preso em uma estação de trem.   Segundo Kumar, ambos tinham utilizado documentos de identidade falsos para comprar 22 cartões para celulares, dos quais 13 foram adquiridos com o título de eleitor de um tio de Tasueef já falecido. Um desses 13 cartões teria sido usado pelos terroristas responsáveis pelos ataques de Mumbai, disse a fonte, segundo quem os dois detidos serão interrogados nos próximos dias.   Antes, uma fonte da Polícia tinha afirmado à "PTI" que as forças de segurança tinham rastreado a pista de 37 cartões de telefone, que, comprados em Calcutá e nos arredores, depois foram enviados ao Paquistão. Segundo essa fonte, alguns desses cartões podem ter sido usados pelos terroristas durante os ataques de Mumbai.   A polícia de Mumbai conseguiu localizar cinco cartões usados durante os ataques, dos quais três procediam da região de Bengala, cuja capital é Calcutá. A Índia apontou "elementos paquistaneses" como responsáveis pelos atentados de Mumbai.

Tudo o que sabemos sobre:
ÍndiaMumbaiatentados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.