Polícia inglesa prende dono de apartamento de arquiteta assassinada

Suspeito, de 65 anos, morava no apartamento em cima ao de Joanna Yeates, em caso que despertou grande interesse no país.

BBC Brasil, BBC

30 de dezembro de 2010 | 09h18

Jefferies teria dito à polícia que viu Yeates e duas pessoas deixarem o prédio

Um homem de 65 anos foi preso na Grã-Bretanha, suspeito de ser o assassino da arquiteta Joanna Yeates, cujo corpo foi encontrado no dia do Natal.

A polícia diz que a prisão foi feita na manhã desta quinta-feira, no endereço onde Yeates vivia, na cidade de Bristol, sudoeste da Inglaterra.

O suspeito seria o proprietário do apartamento onde a jovem vivia, Chris Jefferies, que mora no apartamento em cima do dela.

O caso de Yeates ganhou destaque na Inglaterra por causa das circunstâncias incomuns do crime.

A arquiteta de 25 anos desapareceu no dia 17 de dezembro, após comprar uma pizza e duas garrafas de cidra no caminho para casa, quando voltava de um bar.

Seu casaco, carteira, chaves e telefone celular estavam em seu apartamento e não havia sinal de arrombamento ou luta na propriedade.

O namorado de Yeates, Greg Reardon - que vivia com ela, mas estava fora da cidade visitando a família - ligou para a polícia quando voltou de viagem, dois dias depois, dizendo que ela estava desaparecida.

&&

Corpo de Joanna Yeates foi encontrado no dia 25

No último dia 25, o corpo da arquiteta foi encontrado coberto de neve em uma estrada rural a cinco quilômetros de seu apartamento por um casal que estava passeando com seus cachorros.

A autópsia revelou que ela havia sido estrangulada.

Exames forenses

Um porta-voz da polícia disse que exames forenses estão sendo realizados e voltou a pedir a ajuda de qualquer que possa ter informações sobre o caso.

Policiais apreenderam um carro prateado na rua onde Joanna Yeates morava e também estão examinando outro carro na mesma rua.

Durante as investigações, Jefferies teria dito à polícia que viu três pessoas, uma das quais seria a arquiteta, deixando o prédio no dia em que ela desapareceu.

O professor aposentado teria dito que viu o grupo por volta das 21h, pouco depois que Yeates havia chegado em casa, enquanto ele estacionava o carro na rua.

Mas na quarta-feira, em entrevista a jornalistas, Jefferies negou ter dito à polícia que viu Yeates saindo com outras duas pessoas.

Imagens de circuito interno de TV gravadas após as 20h do dia 17 de dezembro mostram Joanna Yeates indo a um supermercado Waitrose, depois a uma loja de bebidas, onde ela comprou duas garrafas de cidra, e finalmente a um supermercado Tesco, onde ela comprou uma pizza.

Um recibo da compra foi encontrado em seu apartamento, mas os detetives não acharam nenhum sinal da pizza ou de sua embalagem. A polícia acredita que a localização do produto possa ajudar a resolver o caso.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.