Polícia intercepta carta-bomba enviada ao presidente do BCE

Testes revelaram a existência de explosivos numa carta endereçada ao presidente do Banco Central Europeu, Willem F. Duisenberg, interceptada por funcionários, disseram hoje oficiais do governo alemão.O pequeno pacote foi descoberto no banco ontem durante uma checagem de rotina e entregue à polícia. Hartmut Schneider, porta-voz dos agentes do governo em Karlsruhe, disse se tratar de uma "carta-bomba totalmente funcional".Investigadores estão agora atrás de pessoas que possam formar uma rede terrorista. "Estamos atrás de um grupo italiano muito próximo ao anarquismo", disse Schneider, sem fornecer mais detalhes.O grupo se responsabilizou por outras duas bombas que explodiram no último final de semana, sem deixar feridos, próximas à residência de Romano Prodi, presidente da Comissão Européia, que também recebeu uma carta-bomba. Ele é acusado de ser um representante da "nova ordem européia".Ainda ontem, a polícia holandesa interceptou uma carta-bomba enviada ao agente da polícia européia em Haia, Holanda. Ainda não se sabe se há uma ligação entre os atentados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.