Polícia internacional vai assumir a segurança de Díli

A polícia internacional deslocada para oTimor Leste devido à onda de violência que eclodiu há três meses, vai substituir os militares estrangeiros na tarefa de manter a segurança nas ruas da capital do país, Díli, informou nesta quarta-feira o comandante das forçasaustralianas, Mick Slater. "A força de estabilização sente que a situação de segurança melhorou em Díli a ponto de a presença de tropas fortemente armadas deixar de ser necessária", disse Slater. A partir desta semana, as forças policiais devem patrulhar a capital até meia-noite. Segundo Slater, os militares vão continuar no país até garantir que não haverá novos protestos como os que, em maio, causaram a morte de 30 pessoas. A crise custou o cargo do ex-primeiro-ministro Mari Alkatiri, que renunciou após ser acusado de armar grupos rebeldes para eliminar seus adversários políticos. Atualmente, Austrália, Malásia e Nova Zelândia mantêm cerca de 3 mil soldados no Timor, além de 500 policiais, ao lado de Portugal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.