Polícia interroga Sharon em escândalo de corrupção

A polícia interrogou por mais de duas horas o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, a respeito de um escândalo de corrupção que poderá forçá-lo a deixar o governo, caso seja indiciado pela Justiça. Segundo a TV local, Sharon disse aos investigadores que não sabia que seu filho Gilad havia assinado um contrato milionário com uma incorporadora para atuar como consultor de marketing de um resort numa ilha grega.Amigo de Sharon, o empresário David Appel contratou Gilad para o cargo de consultor de marketing, apesar de ele não ter nenhuma experiência nessa área.No mês passado, Appel foi indiciado sob a acusação de tentar subornar Sharon e seu atual vice-primeiro-ministro, Ehud Olmert, quando ambos eram respectivamente chanceler e prefeito de Jerusalém, no final dos anos 90. Esta é a segunda vez que o primeiro-ministro é interrogado sobre o assunto - a primeira foi em outubro. A entrevista foi na residência oficial de Sharon, em Jerusalém. Segundo o porta-voz da Polícia, Gil Kleiman, ele "cooperou integralmente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.