Polícia interroga Sharon sobre acusações de corrupção

A polícia de Israel interrogou o primeiro-ministro Ariel Sharon durante sete horas, para colher seu depoimento sobre as suspeitas de suborno que pesam contra ele em um negócio imobiliário. Sharon, terceiro primeiro-ministro de Israel a ser alvo de investigações por corrupção, negou qualquer conduta ilegal. A polícia negou-se a comentar o assunto.A polícia chegou à residência oficial de Sharon por volta das 9h locais de hoje, deixando o local apenas às 16h. A imprensa israelense informou que o primeiro-ministro foi previamente avisado sobre o depoimento, o que torna provável a recomendação de seu indiciamento. Mesmo assim, o envio prévio de aviso é comum em investigações como essa, e analistas consideram muito improvável que Sharon venha a perder o cargo por isso.A investigação concentra-se em um negócio fechado entre o filho mais jovem de Sharon, Gilad, e o empresário David Appel, que tem laços com o Partido Likud, ao qual pertence o primeiro-ministro. Appel teria pago centenas de milhares de dólares a Gilad para emplacar um empreendimento turístico na Grécia, publicou a imprensa local.A polícia investiga a possibilidade de Gilad Sharon ter sido contratado em meio a uma tentativa de se chegar a seu pai, que na época era ministro das Relações Exteriores e poderia auxiliar em contatos com as autoridades gregas para que aprovassem a venda de um terreno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.