Aaron Favila / AP
Aaron Favila / AP

Polícia intervém em possível tomada de reféns em um shopping center nas Filipinas

Prefeito de um distrito da capital filipina disse à imprensa que um segurança sequestrava até 30 pessoas em um escritório e que ele havia matado pelo menos uma pessoa

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de março de 2020 | 05h02

Policiais fortemente armados intervieram em um shopping center nas Filipinas nessa segunda-feira, 2, informou a AFP, onde, segundo a imprensa local, um funcionário insatisfeito estava tomando reféns.

O prefeito de um distrito de Manila, a capital filipina, disse à imprensa que um segurança sequestrava até 30 pessoas em um escritório e que ele havia matado pelo menos uma pessoa.

"A informação inicial que temos (...) é que ele tem armas de fogo e granadas. Já existe uma pessoa que foi atingida por um tiro e levada ao hospital", disse Francis Zamora, prefeito de San Juan.

O shopping estava cheio de clientes e trabalhadores, que foram convidados a evacuar o prédio logo após o primeiro tiro ser ouvido.

Os centros comerciais de Manila, onde existem restaurantes, estruturas médicas e até igrejas, são um lugar crucial na vida social local. / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinas [Ásia]sequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.