Polícia invade casa de sobrinhos de Maduro

A polícia dominicana cumpriu ontem mandados de busca e apreensão na casa de Francisco Flores, um dos sobrinhos da primeira-dama venezuelana, Cilia Flores e do presidente Nicolás Maduro, detido na quarta-feira por autoridades americanas no Haiti com 800 kg de cocaína ao lado de Efraín Flores, outro sobrinho do casal. A casa de Flores, no sudeste do país, foi invadida na manhã de ontem, segundo a emissora dominicana CDN.

CARACAS, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2015 | 02h00

A operação que levou a prisão de Francisco e Efraín Flores foi comandada pela DEA, a agência antidrogas dos EUA. O iate que carregava a droga estava registrado nas Bahamas e carregava também 10 quilos de heroína.

Na Venezuela, a prisão dos dois sobrinhos de Maduro serviu de impulso à campanha da oposição para as eleições parlamentares de 6 de dezembro, que começou ontem.

A coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) pediu uma investigação do caso e acusou o governo e membros do Exército de conluio com narcotraficantes. A entidade pediu que eleitores boicotem o chavismo para que a oposição retome o controle do Parlamento.

A ex-deputada Maria Corina Machado pediu a renúncia do presidente. "Maduro e seu regime deixaram de ser um movimento político e viraram uma organização criminosa."

Campanha. O chavismo lançará, entre os candidatos à Assembleia Nacional, a própria Cilia Flores, além do atual presidente da Casa, Diosdado Cabello.

A MUD também tem uma lista de experientes políticos, vários deles líderes partidários, deputados e a primeira candidata transexual do país, a ativista Tamara Adrian. / AFP, AP e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.