Polícia iraquiana nega ataque contra colégios

A polícia iraquiana negou um relatório divulgado há algumas horas pelo governo do país informando que militantes insurgentes deceparam dois professores na frente de seus alunos nesta quarta-feira. Segundo o comando militar dos Estados Unidos, não há evidências de que o ataque tenha efetivamente ocorrido. O ministério nacional da Segurança havia dito inicialmente em um nota à imprensa que militantes invadiram as escolas de Amna e Shaheed Hamde e "deceparam" um professor de cada colégio na frente dos estudantes. As escolas ficam no bairro de Shaab, em Bagdá. Guardas de ambos os estabelecimentos também negaram as ações para um fotógrafo da Associated Press enviado ao local. Quando questionado sobre a declaração do ministério, o titular da pasta mudou a história, dizendo que um guarada de uma das escolas foi ameaçado de morte por militantes na frente dos estudantes, enquanto um professor foi alvejado do lado de fora da outra escola quando chegava para trabalhar. Mas, segundo o porta-voz do ministério do Interior, coronel Faleh al-Mohammedawi, e o diretor da polícia de Bagdá para o distrito de Shaab, capitão Ali al-Obeidi, nenhum tipo de ataque foi registrado em escolas da região. O porta-voz do exército americano, Coronel Barry Johnson, disse que soldados foram enviados para os dois estabelecimentos e nenhuma evidência de incidentes violentos foi encontrada em ambas as escolas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.