Polícia iugoslava já pode prender Milosevic

O ministro do Interior da Iugoslávia, Dusan Mihajlovic, assegurou hoje (31), durante entrevista coletiva concedida nesta capital, que juizes sérvios já expediram uma ordem de prisão contra o ex-presidente iugoslavo Slobodan Milosevic e um grupo de seus colaboradores, para que possam ser julgados na Iugoslávia e não ante o Tribunal Internacional para a Guerra da Iugoslávia, na Haia, Países Baixos.O ministro informou também que a polícia sérvia deterá o ex-presidente assim que julgue possível, uma vez que teve de desistir de fazê-lo na madrugada passada ante a "agressividade" dos guarda-costas de Milosevic, que estão equipados com armamentos pesados, inclusive bazucas e metralhadoras. Dusan Mihajlovic acrescentou que o ex-presidente terá que responder por crimes relacionados com abusos do cargo e também por crimes financeiros, de acordo com a jurisdição nacional da Federação Iugoslava. O ex-mandatário continua sitiado em sua luxuosa mansão nas cercanias de Belgrado, protegido por um número desconhecido de militantes de seu Partido Socialista e do partido JUL, liderado por sua mulher Mira Markovic. Milosevic teria afirmado durante a madrugada que não seria levado para a prisão "com vida".Durante a noite, acabaram feridos dois policiais, atingidos por disparos dos seguranças de Milosevic. Por outro lado, informou o ministro, 16 dos guarda-costas do político, todos policiais da ativa ou da reserva, abandonaram seu líder. Milosevic é acusado de crimes de guerra e genocídio de albaneses étnicos, mediante violenta campanha de limpeza étnica durante o conflito de Kosovo (em 1999) pelo Tribunal Internacional dos Crimes de Guerra da ex-Iugoslávia. É responsabilizado também pelas sangrentas guerras, principalmente a da Bósnia-Herzegovina, que fragmentaram a antiga Iugoslávia. Na Sérvia, é investigado por acusações de abuso de poder, enriquecimento ilícito, assassinatos, fraude eleitoral e traição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.