Polícia libera manifestantes presos em Copenhague

A polícia dinamarquesa liberou hoje quase mil manifestantes presos durante protesto que exigia propostas concretas para combater o aquecimento global durante a Conferência do Clima, em Copenhague. A polícia informou que apenas 13 das 968 pessoas detidas permaneciam sob sua custódia. Destas, três - dois dinamarqueses e um francês - compareceram a uma corte local após serem acusados de desacato à autoridade.

AE-AP, Agencia Estado

13 de dezembro de 2009 | 09h54

Cerca de 40 mil pessoas participaram da manifestação ontem, em uma marcha que seguiu em direção ao centro de conferências onde 192 nações tentam fechar um acordo climático. A polícia deteve os quase mil ativistas já no final da caminhada, quando alguns deles começaram a vandalizar edifícios no centro de Copenhague. O antigo prédio da Bolsa de Valores local e do Ministério do Exterior tiveram suas janelas quebradas. Flemming Steen Munch, porta-voz da polícia, afirmou que um guarda e um manifestante tiveram ferimentos leves.

Os delegados da conferência tiraram o dia de folga hoje, embora ministros de meio ambiente de vários países devam realizar reuniões informais a respeito das metas de corte das emissões de gases do efeito estufa e do financiamento para nações mais pobres. As propostas de redução de emissões feitas até agora não chegam ao mínimo proposto no acordo preliminar para impedir a elevação da temperatura global a um nível considerado perigoso.

Tudo o que sabemos sobre:
ambienteclimaCopenhague

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.