Polícia londrina promete 'grande ação' contra violência

Mais de 160 pessoas foram presas; Cerca de 35 policiais ficaram feridos no final de semana

AE, Agência Estado

08 de agosto de 2011 | 09h57

LONDRES - A polícia britânica prometeu nesta segunda-feira, 8, uma "grande operação" para deter os participantes dos tumultos ocorridos no final de semana, quando cenas de vandalismo e saques foram registradas num bairro pobre de Londres a apenas alguns quilômetros do local onde serão realizados os Jogos Olímpicos.

 

Veja também:

Polícia britânica prende mais de 100 após tumultos em Londres no domingo

Saques e violência se espalham por Londres em segunda noite de tumultos

 

Grupos de jovens com máscaras e capuzes saquearam lojas, atacaram policiais e incendiaram veículos numa ação que levantou questões sobre a segurança na cidade antes dos Jogos Olímpicos de 2012 e revelou uma raiva mal contida em relação à polícia. Mais de 160 pessoas foram detidas.

Cerca de 35 policiais ficaram feridos, dentre eles um atingido por um carro enquanto tentava realizar prisões no nordeste de Londres. A comandante de polícia Christine Jones disse que os oficiais estão "chocados e ultrajados com o nível de violência contra eles". "A questão mudou, de um problema local para criminalidade organizada", disse o comissário assistente adjunto Steve Kavanagh nesta segunda-feira, enquanto anunciada um "grande investigação" para rastrear os participantes das ações violentas. "Vamos assegurar que a criminalidade não continue atuando", disse Kavanagh à Sky News.

A violência teve início no bairro de Tottenham, na noite de sábado, depois que um homem de 29 anos, pai de quatro filhos, foi morto a tiros pela polícia e a comunidade local ficou indignada. Segundo a polícia, a violência se espalhou por outras partes da cidade na noite de domingo e madrugada desta segunda-feira, afetando rapidamente até mesmo o bairro central onde fica Oxford Circus, local bastante frequentado por turistas.

Os protestos contra a morte de Mark Duggan, que foi morto a tiros em circunstâncias não esclarecidas na quinta-feira, foram inicialmente pacíficos. Mas a coisa piorou quanto cerca de 500 pessoas se reuniram nas proximidades da delegacia de polícia de Tottenham na noite de sábado.

Alguns manifestantes jogaram garrafas com gasolina contra os policiais, enquanto outros enfrentaram os oficiais com tacos de beisebol e outros objetos, numa tentativa de invadir a delegacia. Dois carros da polícia e um ônibus de dois andares foram incendiados, além de vários prédios da principal avenida de Tottenham.

As coisas estavam calmas na noite de domingo em Tottenham, mas ocorreram vários saques no subúrbio de Enfield, alguns quilômetros ao norte, e em Walthamstow, nordeste da capital, onde segundo a polícia 30 jovens praticaram atos de vandalismo e saquearam lojas. Cerca de 50 pessoas provocaram danos em Oxford Circus, no centro da cidade.

No bairro de Brixton, sul de Londres - local de tumultos nas décadas de 1980 e 1990 - jovens quebraram vidros e atacaram carros policiais na noite de domingo, além de atearem fogo a lixeiras e roubar videogames, roupas esportivas e outros produtos de lojas locais. "Obviamente, foi um reflexo do que aconteceu em Tottenham, mas estamos a 16 quilômetros de distância", disse Williams Falade, gerente de uma academia de ginástica que fechou porque o restaurante do lado fora atacado. "É uma desculpa. Coisas como essas vão acontecer, mas eles deveriam acontecer por razões melhores".

 

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LondresprotestosviolênciaTottenham

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.