Polícia mata dois militantes, impedindo ataque em Meca

A polícia matou hoje dois militantes durante um tiroteio num esconderijo fortificado, dentro da cidade sagrada de Meca, e apreendeu um grande suprimento de armas, de acordo com um porta-voz do Ministério do Interior da Arábia Saudita. O funcionário disse que as armas encontradas e o método que os militantes usaram no confronto com a polícia indicam que se tratava de simpatizantes da rede terrorista Al-Qaeda.?Eles têm a mesma ideologia que de outros grupos que foram presos, a mesma cabeça simplória?, disse o porta-voz. ?Não há uma outra rede terrorista no mundo que use esses métodos.? A polícia frustrou uma operação terrorista ?que não respeitaria a santidade de lugares sagrados nem o mês do Ramadã? ? o mês de jejum que começou há uma semana.Autoridades de Meca disseram que, diante do tiroteio, a polícia aumentará o esquema de segurança da cidade que é berço do profeta Maomé desde o século 7, particularmente nos últimos dez dias do Ramadã, quando cerca de 2 milhões de muçulmanos devem chegar à Meca para a peregrinação que todo islamita deve fazer pelo menos uma vez na vida.O tiroteio de hoje começou depois que a polícia cercou dois locais suspeitos, que os militantes tinham fortificado e rodeado de sacos de areia, em al-Share, um bairro periférico de Meca.?Os terroristas abriram fogo pesado contra as forças de segurança, usando rifles automáticos e granadas?, disse o porta-voz do Ministério do Interior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.