Polícia norueguesa acredita que Breivik agiu sozinho

Investigadores noruegueses acreditam cada vez mais que o homem que confessou o assassinato de 77 pessoas nos ataques do mês passado planejou e agiu sozinho, disse um promotor nesta quarta-feira. Anders Behring Breivik detonou uma bomba do lado de fora de prédios do governo em Oslo em 22 de julho, matando 8 pessoas, e depois realizou um massacre a 40 quilômetros da capital, onde matou 69 pessoas a tiros.

AE, Agência Estado

10 de agosto de 2011 | 14h37

Inicialmente, havia especulações de que outras pessoas estariam envolvidas no ataque, mas o promotor Christian Hatlo disse que após 40 horas de interrogatório, a polícia está praticamente certa de que Breivik agiu sozinho e que, aparentemente, ele está falando a verdade.

Hatlo disse que a polícia conseguiu verificar a maior parte das informações divulgadas por Breivik e não descobriu "nenhuma mentira até agora". "É por isso que, com certa certeza, podemos dizer que ele estava sozinho, mas eu enfatizo que ainda não chegamos a uma conclusão final", disse Hatlo à Associated Press.

Investigadores vasculharam os registros de seu computador e telefone celular em busca de sinais de contato com outros grupos extremistas de direita que podem ter ajudado ou influenciado Breivik. Agências de segurança de outros países também auxiliaram a Noruega nas investigações, dentre elas agências dos Estados Unidos, onde as autoridades interrogaram a irmã de Breivik, em Los Angeles.

Hatlo disse que todas as informações recebidas do exterior também apontam que Breivik agiu sozinho. "Nada sustenta a possibilidade de envolvimento de outras células", disse Hatlo, que recusou-se a dar maiores detalhes.

Breivik disse, num manifesto de 1.500 páginas postado na internet, que os ataques foram uma tentativa de revolução cultural, com o objetivo de purgar a Europa de muçulmanos e punir políticos que apoiam o multiculturalismo. Ele disse à polícia que faz parte de uma rede militante contrária aos muçulmanos que tem outras duas células na Noruega e várias no exterior, mas que elas não se envolveram no ataque.

Se condenado por terrorismo, Breivik pode ficar 21 anos preso, mas se for considerado um perigo para o público, pode ser mantido atrás das grades por tempo indefinido. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
NoruegaataquesBreivikOslo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.