Polícia paquistanesa desbarata ataque suicida

A polícia paquistanesa anunciou hoje ter desbaratado um ataque suicida no qual militantes islâmicos lançariam um automóvel Volkswagen carregado com explosivos contra um carro levando diplomatas americanos em uma estrada em Karachi. A polícia deteve três homens no sábado e apreendeu 250 sacos com nitrato de amônio, o explosivo químico que foi usado no atentado de 1995 contra um edifício federal em Oklahoma, EUA. Um dos suspeitos, Asif Zaheer, foi relacionado ao ataque suicida de maio diante de um hotel em Karachi que matou 14 pessoas, entre elas 11 engenheiros franceses. "Asif Zaheer é um perito em explosivos e ele foi o homem que preparou o carro para o ataque suicida diante do Hotel Sheraton", disse o chefe de polícia, Kamal Shah. A polícia disse ainda não ter evidências ligando os suspeitos à rede Al-Qaeda, de Osama bin Laden, mas disse que aparentemente eles foram treinado em um campo no Afeganistão do grupo extremista islâmico Harkat ul-Mujahedine Al-Ami, que luta contra o controle da Índia sobre o disputado território da Caxemira. Aparentemente o plano era carregar com explosivos a parte dianteira de um automóvel Volkswagen New Beetle, com motor na parte traseira, esperar a passagem do veículo levando diplomatas americanos para lançar o carro-bomba contra ele numa operação suicida. Os 250 sacos do fertilizante nitrato de amônia poderiam causar uma grande explosão. Segundo o chefe de polícia, Zaheer disse aos investigadores que essa era o dobro da carga de explosivos usada no atentado de maio contra o hotel. A imprensa local publicou que os suspeitos podem ter planejado atacar as residências de diplomatas americanos. Os suspeitos aparentemente arquitetaram seu plano depois do ataque a bomba de junho diante do consulado americano em Karachi que deixou 12 paquistaneses mortos, mas nenhum americano. Segundo o chefe de polícia, Zaheer disse que decidiram atacar os diplomatas americanos em alguma estrada da cidade, por causa do aumento da segurança nas imediações do consulado dos EUA. Shah disse que Zaheer aparentemente não teve nenhum envolvimento no atentado contra o consulado, mas decidiu dirigir pessoalmente o carro-bomba para garantir o sucesso do ataque. Na manhã de hoje, as autoridades haviam anunciado a prisão de três homens em relação ao atentado contra o Hotel Sheraton, mas não estava claro se eram os mesmos que pretendiam cometer o ataque contra diplomatas americanos. Um informe prévio apontou os três homens como paquistaneses e supostamente membros do proscrito grupo extremista islâmico Lashkar i-Jhangvi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.