Polícia paquistanesa encerra cerco e retoma Aeroporto de Karachi

Ao menos 34 pessoas, entre terroristas, policiais e civis, morreram durante ataque do Taleban ao terminal mais movimentado do país

O Estado de S. Paulo

09 de junho de 2014 | 07h50

(Atualizada às 12h)  ISLAMABAD  - Forças de segurança paquistanesas retomaram na madrugada desta segunda-feira, 9, o controle do Aeroporto Internacional de Karachi. Desde a noite de ontem, militantes do Taleban atacavam o terminal. Ao menos 34 pessoas morreram.  Segundo as autoridades, 20 pessoas ficaram feridas, quatro delas estado grave.

Um agente da delegacia próxima ao aeroporto internacional de Karachi, no sul do Paquistão, afirmou pouco antes do meio-dia local que foi abatido o último dos 13 agressores que atacaram o recinto e provocaram a morte de outras 21 pessoas.

Um último grupo de três militantes do Taleban havia se entrincheirado em um hangar da companhia aérea local Shaheen e, enquanto dois deles se imolaram com cargas explosivas, o terceiro continuou disparando até ser morto pelas forças de segurança.

O grupo de 13 radicais entrou no aeroporto Muhammad Ali Jinnah de Karachi pouco antes da meia-noite vestidos com uniformes da guarda aeroportuária e pouco depois abriram fogo e começaram a lançar granadas.

O Taleban do Paquistão reivindicou a autoria do atentado afirmando ser uma resposta a ataques aéreos em seus bastiões perto da fronteira do Afeganistão e afirmou que a missão era sequestrar um avião de passageiros. “O principal objetivo deste ataque era prejudicar o governo, incluindo sequestrar aviões e destruir instalações estatais”, disse Shahidullah Shahid, um porta-voz do Taleban.

“Este foi apenas um exemplo do que somos capazes e há mais por vir. O governo deve estar preparado para ataques ainda piores”, acrescentou. / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoTalebanterrorismoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.