Polícia paquistanesa impede protesto pró-democracia

A cidade de Karachi, no Paquistão, está sob cerco para impedir qualquer manifestação pró-democracia em 1º de maio. As estradas que levam ao Parque Nishtar, onde os manifestantes da Aliança para a Restauração da Democracia (ARD) prometeram realizar uma manifestação nesta terça-feira, estão fechadas com barricadas e arame farpado. O parque está totalmente controlado pela polícia.Apenas policiais armados e integrantes de grupos paramilitares estavam nas proximidades do Parque Nishtar, situado num dos bairros mais populosos de Karachi. "O toque de recolher foi imposto por aqui", disse Mohammed Babu, que tentava atravessar o parque, mas foi impedido pela polícia. As lojas foram fechadas e os moradores foram orientados a permanecerem em suas casas, enquanto a polícia desviava o trânsito para estradas alternativas. A ARD havia anunciado que faria uma manifestação pedindo a realização de novas eleições nesta terça-feira, Dia Internacional do Trabalho. Mas o governo militar, que proibiu a realização de protestos em outubro de 1999, prendeu diversos integrantes e simpatizantes do ARD para impedir a manifestação. "A cidade inteira está sob cerco", disse Nisar Khoro, um dos líderes do Partido do Povo do Paquistão, à Associated Press. "A polícia está vasculhando ônibus e trens. Mais de 5 mil simpatizantes do ARD já foram presos desde quinta-feira passada." Muitos líderes estão em prisão domiciliar e outros foram impedidos de viajar a Karachi, capital da província de Sindh a fim de controlar os protestos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.