Polícia paquistanesa investiga garota por blasfêmia

Autoridades paquistanesas disseram nesta segunda-feira que prenderam uma menina cristã e estão investigando se ela violou as leis contra blasfêmia, após vizinhos furiosos terem cercado sua casa e exigido que a polícia tomasse providências. De acordo com o policial Zabi Ullah ela foi levada na quinta-feira.

AE, Agência Estado

20 de agosto de 2012 | 11h09

"Entre 500 e 600 pessoas juntaram-se no lado de fora da casa dela, em Islamabad. Estavam bastante bravos e poderiam tê-la ferido se nós não tivéssemos agido logo", afirmou Ullah. Os muçulmanos pediram a prisão da garota por supostamente ter queimado páginas do Corão.

No Paquistão, qualquer um que seja considerado culpado de insultar o profeta Maomé ou o livro sagrado dos muçulmanos, o Corão, pode ser condenado à morte, apesar das execuções raramente serem realizadas. O extremismo no país geralmente faz com que minorias religiosas vivam com medo.

Um policial que não quis se identificar afirmou que o caso provavelmente será arquivado. Os oficiais não souberam precisar a idade da grota, apenas que ela é adolescente. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãogarotablasfêmia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.