Polícia paquistanesa prende 36 para investigar atentado

A polícia paquistanesa prendeu 36 pessoas, a maioria refugiados afegãos, para interrogá-los a respeito do atentado suicida que matou no sábado um juiz e mais 15 pessoas em um tribunal na cidade de Quetta, capital da província de Baluchistan, no sudoeste do Paquistão.O atentado - realizado por um suicida com explosivos presos ao corpo - soma-se a uma série de ataques ocorridos nas últimas semanas. Suspeita-se que militantes pró-Taleban estejam buscando atingir alvos sensíveis a fim de solapar o apoio do governo paquistanês aos EUA.A explosão feriu 24 pessoas e espalhou roupas ensangüentadas e pedaços de corpos em meio ao mobiliário destruído do tribunal. A polícia, que já estava em estado de alerta, reforçou o aparato de segurança em todo o país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.