Polícia paquistanesa proíbe novos refugiados

Policiais paquistaneses proibiram hoje a entrada de refugiados afegãos no País, depois de permitirem a entrada de 5 mil refugiados no sábado - o maior fluxo registrado em apenas um dia desde o início dos ataques. A decisão provocou revolta nos refugiados, que atiraram pedras nos soldados da fronteira. Esses, em contrapartida, abriram fogo contra a multidão, na maioria mulheres e crianças. Segundo os guardas, eles atiraram para o ar. Mas os médicos de um hospital local contaram que um menino de 11 anos foi ferido por uma bala. As Nações Unidas calculam que entre 10 mil e 15 mil pessoas têm se concentrado na fronteira, e que cerca de 300 mil afegãos devem buscar refúgio no Paquistão nas próximas semanas. Os ataques americanos no nordeste do Afeganistão durante a noite têm atrasado, no mínimo, em 24 horas a viagem de nove comboios de ajuda humanitária das Nações Unidas, carregados de 16 mil cobertores, até a cidade de Herat. Há cerca de seis milhões de afegãos precisando de assistência no país.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.