Polícia peruana aperta cerco na selva ao ´camarada Artemio´

A polícia do Peru mantém uma grande ofensiva na selva do país para capturar o "camarada Artemio", último líder político em liberdade do grupo terrorista Sendero Luminoso. "Artemio", cuja identidade continua desconhecida, permanece escondido em uma área agreste da selva no centro do Peru, onde nos últimos meses os terroristas protagonizaram vários ataques contra as forças de segurança.A polícia realizou nos últimos dias uma série de operações para prender os remanescentes terroristas e localizar seu líder, segundo confirmou o ministro do Interior do Peru, Romulo Pizarro.Estas operações resultaram na morte, no último domingo, do principal chefe militar do Sendero que ainda estava em liberdade, Víctor Aponte Sinaraghua, o "camarada Clay". Também foi capturado na segunda-feira, na cidade de Huanta, o suposto chefe militar do Comitê Norte do Sendero Luminoso, Carlos Becerra Romero.Especialistas na guerrilha peruana do Sendero, como o ex-ministro Fernando Rospigliosi, consideraram que a queda de "Clay" causou um "gravíssimo dano" ao grupo.O diretor da Polícia Nacional, Luis Montoya, informou que Becerra Romero é considerado o responsável pelo ´comitê de aniquilamento´ do Sendero Luminoso que operou em Lima nas décadas de 1980 e 1990.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.