Jim Wilson/The New York Times
Jim Wilson/The New York Times

Polícia prende 19 pessoas na quarta noite de protestos na Califórnia

Prefeito de Berkeley cancelou reunião da Câmara dos Vereadores após ameaças de que poderia ser interrompida por manifestantes

O Estado de S. Paulo

10 de dezembro de 2014 | 15h32

LOS ANGELES - Centenas de pessoas protestaram pela quarta noite seguida nas ruas de Berkeley, no norte da Califórnia, contra a morte de negros desarmados por dois policias brancos. Eles marcharam pelas ruas do centro da cidade, ocasionalmente bloqueando o trânsito e atrasando a partida de alguns trens e metrôs.

Autoridades prenderam 19 pessoas na noite da terça-feira. Enquanto isso, manifestantes já planejam novas ações para a quarta-feira em Berkeley, que se tornou o centro dos protestos nesta semana. Entre os planos, está o de fechar um prédio da administração federal em Oakland, cidade que também faz parte da região metropolitana de São Francisco.

"Como brancos, estamos indignados pela constante violação dos direitos dos negros", afirma Jason Wallach, do movimento Showing Up for Racial Justice. Manifestantes também denunciam o uso de força excessiva pela polícia.

O prefeito de Berkeley, Tom Bates, cancelou uma reunião da Câmara dos Vereadores depois de ameaças de que ela poderia ser interrompida por manifestantes. "Eu entendo que em situações de grande estresse, abusos podem acontecer mesmo nas melhores forças", afirmou em um comunicado. "Eu apoio a investigação de qualquer abuso de força por parte do governo para que possamos aprender novas lições."

Os protestos começaram quando a Justiça norte-americana decidiu não indiciar dois policiais brancos pela morte de dois negros desarmados em Ferguson, no estado do Missouri, e em Nova York. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
CalifórniaprotestosFerguson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.