Polícia prende 209 em Hong Kong em remoção de acampamento

Durante a operação policial, os agentes recolheram dados pessoais de outras 909 pessoas que tentaram permanecer no acampamento

O Estado de S. Paulo

12 de dezembro de 2014 | 09h45

HONG KONG - A polícia de Hong Kong prendeu 209, entre políticos e líderes estudantis, ao concluir o desmantelamento do principal acampamento de manifestantes pró-democracia na cidade autônoma chinesa. A maioria deles foi libertada na madrugada desta sexta-feira.

A operação, que pôs fim à maior campanha de desobediência civil vivida no território chinês, se desenvolveu por cerca de 12 horas, de forma pacífica, em Admiralty, o principal distrito financeiro da cidade e onde se encontram os principais escritórios do governo local.

Durante a operação policial, os agentes recolheram dados pessoais de outras 909 pessoas que tentaram permanecer no acampamento e não obedeceram às advertências dos policiais.

Enquanto muitos agentes procediam com as detenções, outros se encarregavam de desmantelar todo o acampamento de protesto, ajudados por operários de limpeza e caminhões, onde foram colocados todos os pertences deixados pelos ativistas após a manifestação.

O trânsito de veículos foi restabelecido na maior parte das ruas que estiveram bloqueadas durante 75 dias após a meia-noite de ontem.

Hoje, Hong Kong amanheceu quase sem nenhum vestígio dos mais de dois meses de ocupação no distrito de Admiralty. No entanto, um pequeno grupo de ativistas permanece no distrito de Causeway Bay. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Hong Kong

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.