EFE/EPA/WOJCIECH OLKUSNIK POLAND OUT
EFE/EPA/WOJCIECH OLKUSNIK POLAND OUT

Polícia prende 300 após confrontos no Dia da Independência da Polônia

Grupos de extrema direita e apoiadores do governo nacionalista polonês entraram em confronto com manifestantes liberais e a polícia

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2020 | 07h41

VARSÓVIA - A polícia da Polônia deteve mais de 300 pessoas depois de confrontos com apoiadores de extrema direita que marchavam por Varsóvia, em protesto contra as restrições à pandemia, informaram autoridades de segurança polonesas nesta quinta-feira, 12.

Os confrontos ocorreram na quarta-feira, 11, durante a marcha do Dia da Independência. Grupos de extrema direita e apoiadores do governo nacionalista polonês entraram em confronto com liberais e com a polícia. Oficiais da tropa de choque usaram spray de pimenta para interromper os focos de briga.

Pessoas na multidão jogaram tijolos e sinalizadores nos policiais, disse o porta-voz da polícia Sylwester Marczak.

A violência explodiu no centro da cidade e no final da marcha perto do Estádio Nacional, recentemente convertido em um hospital de campanha covid-19.

Os organizadores disseram que as pessoas iriam dirigir pelas principais estradas da capital este ano, para contornar a proibição da prefeitura imposta para tentar conter a pandemia. Mas milhares de pessoas marcharam a pé pelo centro de Varsóvia, além dos que dirigiam.

"Houve uma série de sinalizadores, objetos perigosos lançados contra os policiais e que representaram uma ameaça para os policiais. Houve 35 policiais feridos", disse Marczak. A maioria das pessoas detidas já havia sido libertada na quinta, acrescentou./ REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Polônia [Europa]protestocoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.