Polícia prende colono judeu que fez ameaça de morte a Sharon

A polícia israelense informou nesta segunda-feira ter detido um colono judeu que fez uma ameaça de morte contra o primeiro-ministro Ariel Sharon. Um rapaz de 22 anos foi detido no domingo do lado de fora da residência de Sharon em Jerusalém depois de dizer a seus agentes de segurança que ?o primeiro-ministro matou meu amigo e meu vizinho. Para mim, não é problema matá-lo?, de acordo com a porta-voz policial Zvia Cohen. Ela disse que o colono residia num pequeno assentamento judaico na cidade de Hebron, na Cisjordânia, mas não indicou o nome do detido. Não ficou claro a quem o suspeito se referia ao responsabilizar Sharon por duas mortes, mas supostamente ele estava revoltado com o assassinato de colonos judeus por militantes palestinos. Os colonos de linha dura argumentam que Sharon não tem sido suficientemente enérgico com os palestinos. O enclave judeu em Hebron - onde vivem 550 colonos cercados por 130.000 palestinos - é um centro de ultranacionalistas judeus. Mais cedo este mês, dois colonos judeus da área de Hebron foram acusados pela posse de explosivos roubados do Exército, aparentemente em conexão com um complô anti-árabe. A segurança em torno do premier israelense foi reforçada em maio após seguidas ameaças de judeus de extrema direita de puni-lo por sua adesão em princípio ao ?roteiro da paz? apoiado pelos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.