Polícia prende suspeito de matar soldado ucraniano na Crimeia

Rapaz de 17 anos seria do oeste da Ucrânia e milita em partido de extrema direita

O Estado de S. Paulo,

19 Março 2014 | 09h31

 

MOSCOU -  A polícia da Crimeia prendeu nesta quarta-feira, 19 o suspeito de ter matado ontem um soldado ucraniano e um membro de uma milícia pró-Rússia em Simferopol, capital da Crimeia.

Veja também: 
link Gilles Lapouge: O trator Putin 
link Artigo: Guerra pela Ucrânia apenas começou 
link Cronologia: os protestos na Ucrânia 
link As regiões que lutam por separação pós-Guerra Fria 

O detido, um jovem de 17 anos, é oriundo da região de Lviv, no oeste da Ucrânia, e segundo as autoridades da Crimeia, suspeita-se que poderia pertencer ao grupo ultranacionalista ucraniano Pravy Sektor (Setor de Direita).

"Os disparos provinham do mesmo ponto e eram dirigidos para duas direções: contra as autodefesas que estavam verificando uma chamada que advertia da presença de homens armados em um edifício em obras, e em direção à base militar ucraniana próxima", declarou ontem à noite um porta-voz crimeano.

A Ucrânia denunciou ontem que um oficial de suas forças armadas morreu baleado por soldados russos em uma base em Simferopol, incidente em que também ficou ferido um capitão ucraniano.

Pouco depois, as autoridades da Crimeia informaram que um membro dos destacamentos de autodefesa russas foi morto e dois ficaram feridos por disparos de francoatiradores próximo da mesma base militar ucraniana.

Após o incidente, o Ministério da Defesa da Ucrânia autorizou o os militares ucranianos desdobrados na Crimeia a utilizarem armas. A península foi anexada ontem à Rússia por meio de um tratado assinado no Kremlin. / EFE

Mais conteúdo sobre:
CrimeiaRússiaUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.