Polícia reprime protesto no centro de Moscou

RÚSSIA

, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2010 | 00h00

A oposição foi ontem às ruas de Moscou para protestar contra o governo russo. A data escolhida foi o Dia da Bandeira, que celebra o fracasso do golpe de Estado de agosto de 1991. O movimento opositor "Solidarnost" (Solidariedade), que reúne partidos liberais, esquerdistas e nacionalistas, marchou pelo centro da capital russa. Como no ano passado, a prefeitura de Moscou não autorizou a manifestação. A polícia reprimiu o protesto. Três líderes ativistas foram detidos, inclusive Mikhail Shneider e Boris Nemtsov, dois dos mais duros opositores do primeiro-ministro Vladimir Putin. Nemtsov afirmou que a decisão de interromper a marcha mostrou a mentalidade do governo de Putin. "A bandeira é um símbolo de liberdade e democracia, menos para Putin", disse. O Solidarnost, que tem o mesmo nome do lendário sindicato polonês fundado em 1980, foi criado em 2008 por Nemtsov e outro líder opositor, Garry Kasparov.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.