Polícia reprime protesto no Iêmen e 14 pessoas morrem

Forças de segurança queriam dispersar opositores que se concentravam na praça da Liberdade

Efe,

30 de maio de 2011 | 05h57

Manifestantes anti-governo se concentram na Praça da Liberdade    

 

 

 

TAIZ, IÊMEN- Pelo menos 14 pessoas morreram quando a polícia iemenita reprimiu um protesto político que acontecia em uma praça da cidade de Taiz, informaram nesta segunda-feira, 30, fontes médicas locais.

 

Veja também:

especialMapa: A revolução que abalou o Oriente Árabe

 

As forças de segurança chegaram a usar fogo real para dispersar os manifestantes, segundo as mesmas fontes.

 

A ação policial, que começou na noite de ontem, se prolongou durante esta madrugada na praça Liberdade do centro de Taiz, onde havia uma concentração de opositores ao regime do presidente Ali Abdullah Saleh.

 

As forças de segurança iemenitas utilizaram canhões de água para reprimir os manifestantes e incendiar o acampamento que tinham levantado na praça Liberdade, e também usaram fogo real para desbaratar o protesto, segundo as fontes médicas.

 

Os ativistas tinham acampado neste lugar, imitando os protestos políticos que se instalaram na praça Tahrir do Cairo no final de janeiro passado e se estenderam nas semanas seguintes a outras cidades do mundo árabe.

 

Taiz, antiga capital e o principal centro industrial do Iêmen, se somou nas últimas semanas às cidades que estão sendo palco de manifestações de protesto contra o regime de Saleh.

 

No domingo, nesta mesma localidade, pelo menos três manifestantes morreram e outros 90 ficaram feridos por disparos da Polícia durante um protesto na frente do prédio do conselho municipal, segundo fontes médicas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.