Polícia russa frustra protesto da oposição e prende 100

Ao menos 100 pessoas foram presas hoje durante tentativas de protesto da oposição em duas grandes cidades da Rússia, organizadas por críticos do Kremlin e pelo ex-campeão mundial de xadrez Garry Kasparov, disseram policiais e testemunhas. Dezenas de protestantes foram detidos e colocados em ônibus da polícia na praça Triumfalnaya, no centro de Moscou, onde Kasparov e outros ativistas planejavam realizar uma "Marcha dos Dissidentes", disse um jornalista da AFP.As prisões ocorreram um dia após Kasparov e outros críticos do governo lançarem um novo grupo de oposição, o Solidariedade, e prometerem "desmantelar" o regime do primeiro-ministro, Vladimir Putin. Na praça Pushkin, um fotógrafo da AFP viu cerca de 15 idosos que disseram ser militares aposentados serem detidos pela polícia, quando se preparavam para seguir para a marcha.O porta-voz da polícia Viktor Biryukov disse que "cerca de 90 pessoas foram detidas", acrescentando que elas poderão enfrentar medidas administrativas, um termo que costuma significar multa. Os ativistas detidos incluem o escritor Eduard Limonov, fundador do Partido Nacional Bolchevista, um grupo radical banido, informou o auxiliar dele Alexander Averin por telefone. Ainda não está claro o que aconteceu com Kasparov. Outras 10 pessoas foram detidas em uma marcha dos dissidentes paralela, em Saint Petersburg, testemunhou um jornalista da AFP. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.