Polícia russa prende 100 pessoas em protesto contra Putin

A polícia russa atuou com violência em São Petersburgo, segunda maior cidade do país, para tentar impedir que grupos críticos ao presidente Vladimir Putin realizassem um protesto para exigir mais democracia. Usando cassetetes, 100 dos 2 mil manifestantes que haviam sido proibidos de realizar o protesto no centro da cidade foram presos.Os membros de grupos liberais e de esquerda saíram em passeata pela principal avenida da cidade para protestar contra o que consideram a falta de democracia, na chamada Marcha dos que Discordam, uma rara reunião da em geral fracionada oposição do país. As autoridades haviam proibido o protesto, dando permissão apenas para uma demonstração num local longe do centro da cidade, mas os ativistas desafiaram a ordem e marcharam pela Nevsky Prospekt, bloqueando o tráfego na principal avenida da cidade. Um fotógrafo da Associated Press viu a política batendo nos manifestantes com cassetetes e os arrastando para ônibus de detenção. Vários manifestantes também atacaram um policial. Os ativistas portavam cartazes com os dizeres "Rússia sem Putin", em referência ao presidente Vladimir Putin, "Queremos Justiça" e "Devolva as Eleições".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.