Victor Berezkin/AP
Victor Berezkin/AP

Polícia russa prende 200 durante fórum organizado por opositores

Reunião chamada Fórum de Moscou havia acabado de começar quando foi invadido por policiais

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2021 | 11h53

MOSCOU - A polícia russa deteve pelo menos  200 pessoas, incluindo várias figuras de destaque da oposição ao governo, em uma reunião de políticos em Moscou neste sábado, 13, informou o Ministério do Interior.

As prisões ocorreram na onda de uma forte repressão contra a oposição que cresceu após a prisão de Alexei Navalni, advogado que retornou à Rússia em janeiro após se tratar de um envenenamento provocado por um agente nervoso na Sibéria - ele acusa o Kremlin pela ação.

O encontro, chamado de Fórum de Moscou, agendado para sábado e domingo, reunia vereadores de todo o país, Andrei Pivovarov,  organizador do evento e diretor executivo do Open Russia, um grupo britânico fundado pelo exilado magnata do petróleo e crítico do Kremlin Mikhail Khodorkovsky, informou a emissora de rádio Echo Moskvy.

Quando a reunião começou, a polícia entrou no prédio e começou a prender os participantes e a levá-los para as vans da polícia que esperavam do lado de fora, mostraram vídeos da TV Rain e de agências de notícias russas.

O Ministério do Interior da Rússia disse que todos serão investigados. De acordo com a polícia, os detidos não seguiam os protocolos estabelecidos pelo governo no combate à covid-19, embora as imagens mostrassem a maioria deles usando máscaras. 

“Uma parte significativa dos participantes não tinha equipamento de proteção individual”, informou a polícia em comunicado. “Membros de uma organização cujas atividades são consideradas ilegais ​​em território russo estavam entre os participantes.”

“O final do breve fórum foi muito simbólico: políticos em vans e policiais mascarados torcendo os braços das pessoas”, escreveu no Facebook Ilya Yashin, político da oposição que foi detido. “Mas ninguém nos prometeu liberdade em uma bandeja de prata. A Rússia ainda será livre. ”

Vladimir Kara-Murza, vice-presidente da Free Russia Foundation, organização sem fins lucrativos com sede em Washington, compartilhou uma foto de dentro de uma van da polícia depois de ser detido.

A TV Rain disse que Yevgeny Roizman, a ex-prefeita de Yekaterinburg, e a vereadora de Moscou Yulia Galyamina também foram detidos.

O Open Russia é um dos mais de 30 grupos que Moscou rotulou como "indesejáveis" e foram banidos por uma lei adotada em 2015. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.