Polícia se junta a manifestação antigoverno na Tunísia

A polícia da Tunísia se juntou hoje a manifestantes contrários ao governo e realizou seu próprio protesto. Pelo menos 2 mil oficiais saíram às ruas de Túnis, capital do país, para exigir melhores salários e reiterar que não tiveram culpa pelas mortes ocorridas em recentes manifestações que levaram à deposição do presidente Zine El Abidine Ben Ali.

AE, Agência Estado

22 de janeiro de 2011 | 13h10

A polícia tunisiana, muito temida no país do norte da África durante a administração linha-dura de Ben Ali, também exigiu a saída de todos os políticos que fizeram parte do governo deposto. Ontem, o primeiro-ministro da Tunísia, Mohamed Ghannouchi, disse que deixará a política e o poder "no prazo de tempo mais curto possível", após a fase de transição que levará a eleições legislativas e presidenciais. Ghannouchi, premiê do país desde 1999, assumiu o comando da Tunísia após a queda de Ben Ali, do qual foi aliado por um longo período. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.