Polícia silencia sobre identidade de assassino de Litvinenko

A polícia britânica se recusou a comentar neste domingo a informação de que teria identificado o homem suspeito de matar o ex-funcionário da inteligência russa Alexander Litvinenko em Londres. Litvinenko morreu em um hospital de Londres em 23 de novembro após ter sido envenenado com uma substância radioativa. Em uma carta que escreveu à beira da morte, ele acusou o presidente russo, Vladimir Putin, de envolvimento no assassinato. O Kremlin tem negado as acusações. Traços de Polonio 210 foram encontrados em vários locais de Londres - incluindo um quarto de hotel onde Litvinenko se encontrou com outros dois russos -, um apartamento em Hamburgo, uma aeronave e na embaixada Britânica em Moscou. O jornal Times afirmou que a polícia identificou o homem suspeito do envenenamento por meio de uma descrição dada por Litvinenko. Identificado apenas como "Vladislav", o homem pode ter chegado a Londres a partir de Hamburgo no dia primeiro de novembro, com um passaporte falso. "Nós não estamos preparados para discutir (detalhes do caso)", disse uma porta-voz da polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.