Polícia suíça confirma que pai de gêmeas disse em carta que as teria matado

Segundo carta publicada por jornal italiano, Matthias Schepp teria escrito que gêmeas 'descansam em paz'

Efe

11 de fevereiro de 2011 | 09h42

GENEBRA - O pai da gêmeas suíças desaparecidas, Matthias Schepp, disse em uma carta datada de 3 de fevereiro que as havia matado, informou nesta quinta-feira a polícia suíça.

 

Na carta, Schepp explicava que estava em Cerignola, na Itália, onde ia se suicidar, acrescentou a polícia, que disse que não publicou a carta para respeitar a intimidade da família e não atrapalhar as investigações.

 

A informação da polícia confirma a notícia publicada nesta sexta pela jornal italiano "La Repubblica", que assegurava que o pai das gêmeas de seis anos enviou uma carta à mãe antes de suicidar-se, na qual dizia que "as meninas descansam em paz" e que "não sofreram".

 

"Não verá mais as meninas. Não sofreram, descansam em paz em um lugar seguro". Esta é a mensagem contida na carta que Matthias Schepp enviou a sua ex-mulher no dia 3 de fevereiro de Cerignola, localidade do sul da Itália onde se suicidou nesse mesmo dia, explica o jornal "La Repubblica".

 

Segundo os últimos dados da investigação, Schepp consultou sites na internet que davam conselhos e informações sobre envenenamentos, assim como várias páginas relacionadas com o uso de armas de fogo.

 

Esses são alguns dados que os investigadores levam em consideração para resolver o mistério sobre o paradeiro das meninas de seis anos Alessia e Livia Schepp, desaparecidas desde 31 de janeiro.

Além disso, a análise do computador de Schepp revelou que este consultou os horários do serviço do barco que une Marselha com a ilha de Córsega, trajeto que teria realizado com as crianças.

 

Um dia depois e segundo a reconstrução dos fatos realizada pelos investigadores, Schepp tomou o barco outra vez para Tolano (França), mas desta vez sozinho.

 

Da localidade francesa acredita-se que se dirigiu à Itália pela estrada, já que a placa de seu carro foi registrada na localidade italiana de Ventimiglia em 2 de fevereiro, acrescenta o jornal italiano "Corriere della Sera".

 

A polícia encontrou o carro estacionado nas imediações da estação ferroviária sem nenhum rastro das duas meninas.

 

As pesquisas se centram na busca de um gravador no qual acredita-se que Schepp poderia ter gravado alguma mensagem sobre o destino das crianças.

A polícia italiana procura as gêmeas no entorno do local onde o pai se suicidou.

Tudo o que sabemos sobre:
GêmeasSuiçasdesaparecidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.