Polícia suspeita que deputado obstruiu Justiça

Autoridades locais iniciaram as investigações para determinar se o deputado Gary Condit, democrata pela Califórnia, obstruiu a Justiça ou encorajou o perjúrio nas investigações referentes ao desaparecimento de Chandra Levy, uma ex-estagiária do Departamento de Justiça, informaram oficiais de justiça nesta quinta-feira. As autoridades tentam esclarecer as informações fornecidas por uma comissária de bordo, segundo quem Condit a teria obrigado a assinar uma declaração, negando um suposto caso de 10 meses entre os dois. Anne Marie Smith também disse que Condit teria sugerido a ela que não cooperasse com os agentes do FBI que viessem interrogá-la. "Estamos em estágio preliminar, conversando com as testemunhas e tentando determinar se devemos nos aprofundar", disse um oficial de Justiça envolvido no inquérito e que fez as declarações sob condição de anonimato. Condit nega a acusação de ter pedido a quem quer que seja para mentir ou não cooperar com os investigadores que tentam descobrir o paradeiro de Levy. Ele nada comentou sobre seu suposto envolvimento com Smith. Marina Ein, porta-voz de Condit, reiterou nesta quinta-feira que o deputado está cooperando com a polícia em todos os aspectos da investigação. Smith, de 39 anos, foi interrogada ontem e hoje por agentes da polícia federal norte-americana e por promotores do Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Oficiais de justiça comentaram que as investigações preliminares são rotineiras quando emergem tais acusações, mas os promotores decidiram aderir aos esforços do FBI para determinar a veracidade das acusações de Smith devido ao perfil do congressista. A procura por Levy prosseguia nesta quinta-feira em diversas frentes, inclusive com buscas em edifícios abandonados da capital norte-americana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.