Polícia suspeita que tiroteio no Novo México foi crime passional

Homem matou três pessoas em fábrica de Albuquerque antes de suicidar-se

AE-AP, Agência Estado

12 de julho de 2010 | 18h02

A polícia qualificou como "episódio de violência doméstica" o ataque a tiros que deixou três mortos nesta segunda-feira, 12, em Albuquerque, no estado do Novo México, nos Estados Unidos. De acordo com uma investigação preliminar, um homem de 37 anos entrou na fábrica da Emcore Corporation e abriu fogo contra um grupo de funcionários, matando duas pessoas e ferindo quatro, antes de suicidar-se.   

 

Veja também:

linkTiroteio deixa três mortos em cidade do Novo México

Ray Schultz, comandante da polícia local, disse que o incidente aparentemente envolve a ex-esposa ou ex-namorada do atirador, cuja identidade não foi revelada. Não estava claro se ela era uma das vítimas. Schultz disse ainda que o autor dos disparos era um ex-funcionário da Emcore Corporation, empresa que fabrica fibras ópticas.

O massacre criou uma atmosfera caótica em Albuquerque, com os funcionários correndo em busca de abrigo enquanto a polícia isolava o perímetro da fábrica. Segundo a polícia, 85 funcionários foram retirados da fábrica e levados a um centro comunitário, onde eram entrevistados por investigadores.

Seis pessoas foram socorridas e levadas ao Hospital da Universidade do Novo México, disse o porta-voz Billy Sparks. Uma das vítimas morreu ao dar entrada e outra faleceu na mesa de cirurgia. Dos quatro sobreviventes, um estava sendo operado e deveria ser levado em breve à unidade de terapia intensiva do hospital e três apresentavam quadro estável, na avaliação dos médicos.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAataquetirosempresapassional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.