Polícia tailandesa dá ordem de prisão contra pedófilo canadense

Testemunho de dois jovens aumenta a lista de crimes supostamente praticados por Christopher Neil

Efe,

18 de outubro de 2007 | 07h51

As autoridades tailandesas emitiram nesta quinta-feira, 18, uma ordem de detenção contra o canadense Christopher Neil, de 32 anos, procurado pela Interpol por pedofilia no Camboja e no Vietnã. No país, ele é acusado de abusar sexualmente de dois menores.   "Temos uma ordem de detenção contra ele agora, ofereceremos mais informações à imprensa em breve", disse um tenente da Polícia aos jornalistas.´   Segundo o jornal Bangkok Post, a Polícia tem o testemunho de dois tailandeses que denunciaram que Neil lhes pagou para praticar sexo oral em um apartamento de Bangcoc há quatro anos, quando ambos tinham 13 e 14 anos.   Um desses jovens declarou à imprensa local que Neil filmou os atos, e a Polícia suspeita que as imagens fazem parte do material colocado pelo suspeito na internet.   Neil trabalhou como professor de inglês em vários colégios internacionais da Ásia e seria conhecido pelo apelido de "Vico".   A Interpol tem imagens de conteúdo sexual colocadas no site do canadense com pelo menos doze crianças vietnamitas e cambojanas, mas digitalmente alteradas para disfarçar seu rosto.   Neil foi gravado em 11 de outubro pelas câmeras de segurança do controle de imigração do aeroporto de Bangcoc, onde chegou em um vôo procedente da Coréia do Sul. O pedófilo aparece em imagens de conteúdo sexual na internet com pelo menos 12 menores vietnamitas e cambojanos.   Atualmente, está sendo procurado em cidades como Pattaya e Phuket, principais destinos do turismo sexual na Tailândia, e no Camboja e Vietnã.   A Interpol colocou em seu site várias fotos do suspeito, que cometia os abusos nos próprios colégios onde trabalhava. "Agora o conhecem no mundo todo. Não tem onde se esconder. Nosso objetivo é que se entregue às autoridades locais (da Tailândia) ou às do Canadá", disse o agente da Interpol Ronald Nobre à imprensa tailandesa.   A Interpol e a Polícia da Tailândia ainda tentam capturar o pedófilo, que passou pelo aeroporto internacional de Bangcoc em 11 de outubro passado. Acredita-se que ele continua na Tailândia, mas pode ter cruzado a fronteira através da selva.   Camboja   Um empresário russo foi detido nesta quinta-feira na cidade de Sihanukville, no sul do Camboja, acusado de manter relações sexuais com pelo menos seis menores nos últimos dois anos, informaram fontes policiais.   Segundo a Polícia, Alexander Trofimov, de 41 anos, é presidente de uma companhia com interesses no Camboja. Ele será levado nesta quinta a Phnom Penh para interrogatório e acusação formal de "libertinagem", termo empregado no país para abusos sexuais de menores. A pena máxima é de 20 anos de prisão, além de indenizações econômicas às vítimas.   Matéria ampliada às 10h58 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
TailândiaPedofilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.