Polícia tailandesa encontra material para bomba após alerta

A polícia tailandesa descobriu materiais para a fabricação de bombas depois da detenção de um libanês suspeito de planejar um ataque, mas o primeiro-ministro insistiu na segunda-feira que tudo estava sob controle.

REUTERS

16 de janeiro de 2012 | 12h29

As autoridades reforçaram a segurança em partes da capital, seus dois principais aeroportos e outras áreas populares entre os turistas depois que Estados Unidos e Israel advertiram na sexta-feira sobre um possível ataque terrorista.

As declarações aborreceram a Tailândia, que está preocupada com danos a sua indústria turística e até agora minimizou as advertências.

A polícia deteve um libanês que tinha um passaporte sueco. As autoridades disseram que ele tem laços com o Hezbollah, um grupo islâmico xiita no Líbano apoiado pela Síria e Irã que está na lista negra dos Estados Unidos de organizações terroristas estrangeiras.

O chefe da polícia nacional Priewpan Damapong disse a jornalistas que o suspeito, identificado como Atrix Hussein, deu à polícia um endereço onde havia material para a fabricação de bomba.

As autoridades encontraram várias quantias de substâncias que podem ser usadas para fazer explosivos em um prédio em Samut Sakhon, sudoeste de Bangcoc, incluindo 4.380 quilos de ureia e 10 galões de nitrato de amônia líquido.

Priewpan disse que seu grupo não planejava um ataque na Tailândia, mas pretendia transportar as substâncias para um terceiro país, que ele não identificou.

Tudo o que sabemos sobre:
TAILANDIABOMBA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.