Polícia turca aumenta segurança por causa do funeral de Dink

As principais ruas do centro de Istambul foram fechadas ao trânsito nesta terça-feira para evitar problemas ao longo dos oito quilômetros que serão percorridos pela comitiva fúnebre do jornalista de origem armênia assassinado na semana passada Hrant Dink. Desde o começo da manhã, os simpatizantes do jornalista começarama se concentrar ao redor do escritório do jornal armênio "Agos", queera dirigido por Dink. Unidades da Polícia antidistúrbios protegerão a manifestação.Policiais estavam posicionados em cada esquina do percurso, pondo em prática medidas de segurança que lembram a recente visita papal.A cerimônia religiosa ocorrerá às 14h (10h de Brasília) na igreja de Meryem Ana. Depois, o corpo de Dink será enterrado no cemitérioarmênio de Balikli. As autoridades turcas convidaram para o funeral personalidades dadiáspora armênia e da República da Armênia, com a qual Turquia nãotem relações diplomáticas. Por isso, o gesto foi considerado comouma demonstração de boa vontade por parte de Ancara. Também foram convidados para o funeral o presidente da Repúblicae o primeiro-ministro, que estará representado por um ministro ou umsecretário de Estado. O governador de Istambul, Muammer Güler, pediu nestasegunda-feira aos cidadãos que evitem ao máximo circularcomautomóveis pela cidade, pois as principais vias de Istambulpermanecerão fechadas ao trânsito durante boa parte do dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.