Polícia turca busca suspeitos de participação em atentados

A polícia turca informou neste sábado estar em busca de suspeitos depois de uma série de atentados contra Istambul ter causado a morte de 53 pessoas em apenas uma semana. Pelo menos três grupos supostamente ligados à rede extremista Al-Qaeda reivindicaram responsabilidade pelas explosões.Durante os funerais de dois policiais mortos nas ações extremistas, o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que o governo buscaria os cúmplices dos militantes suicidas responsáveis pelos atentados. "Cidadãos com ligações com o exterior promoveram os ataques. Esperamos que não existam outros, mas caso existam, as autoridades estão em seu encalço e tenho certeza de que serão detidos", afirmou. A maioria das vítimas era de origem turca.Erdogan informou que 30 pessoas morreram nos atentados de quinta-feira contra alvos britânicos, elevando em três o número de vítimas. Dois militantes também morreram nas ações. A violência ocorreu poucos dias depois de dois militantes suicidas terem causado a morte de 23 pessoas em duas sinagogas de Istambul.O jornal Hurriyet noticiou hoje que 18 pessoas foram detidas na quinta-feira, poucas horas depois dos atentados quase simultâneos contra o Consulado da Grã-Bretanha em Istambul e a sede turca do banco HSBC. Em Londres, o governo britânico informou não ter planos de fechar embaixadas em resposta ao atentado contra seu consulado. Roger Short, cônsul-geral da Grã-Bretanha em Istambul, morreu no ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.